Morte de médico em UPA de Volta Redonda pode ter sido provocada por injeção de Opioide

O médico Leandro Rios de Oliveira Lima, de 43 anos, foi encontrado morto, neste domingo, 2, dentro do banheiro de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro Volta Grande II, em Volta Redonda, no Sul Fluminense.

A Secretaria Municipal de Saúde não quis comentar a causa da morte, porém, segundo informações do site de notícias Tribuna Sul Fluminense, junto ao corpo de médico foram encontradas ampolas da droga Fentanyl, que, supostamente, teria sido injetada no próprio pulso pelo profissional de saúde.

Fentanyl ou Fentanyla é um opioide sintético utilizado contra dores intensas e, em conjunto com outras substâncias, para anestesias. A substância pode ser entre 50 a 100 vezes mais forte que a morfina e entre 30 a 50 vezes mais potente que a heroína.

Em nota, o governo municipal assim se pronunciou sobre o caso: “Não podemos deixar de externar nossa tristeza e preocupação com a forma como essa vida se esvaiu. Todo apoio aos nossos profissionais de saúde nesse momento duro e de muitas perdas. Aos familiares e amigos, nossas condolências”.

A morte do médico está sendo investigada por peritos da 93ª Delegacia de Polícia Civil.

O sepultamento ocorrerá nesta segunda-feira, 3, no cemitério Portal da Saudade, em Volta Redonda.

PROFISSIONAIS DE SAÚDE VÍTIMAS DE OPIOIDES

Apesar da invisibilidade dos muitos casos de profissionais de saúde vítimas de opioides como Fentanyl e Dolantyna, não são incomuns os registros de médicos e enfermeiros que buscam tratamentos ou que morrem após aplicações dessas substâncias com alto potencial para induzir quadros de dependência fisiológica. Embora alguns opioides sejam importantes medicações para uso clínico, desde que com indicação médica específica, o uso deve ser sempre monitorado por profissional altamente qualificado.

Como o tratamento psicoterápico da dependência de opioides é considerado de baixa eficácia, a recomendação para casos assim é o tratamento farmacológico, que poderá ser prolongado com a finalidade de proporcionar melhor qualidade de vida ao paciente,

A pressão psicológica inerente às profissões, que foi agravada pela nova realidade de hospitais e unidades de saúde com a pandemia do novo coronavírus, é uma importante causa do uso de opioides por profissionais de saúde em todo mundo.

Por Jeff Castro