Força-tarefa impede ‘fluxo’ na Martim e dispersa público em festa junina na zona sul em Caraguatatuba, SP; autuações ultrapassam R$ 44,5 mil

As ações para coibir aglomerações continuam em Caraguatatuba. No último fim de semana, as equipes que compõem a força-tarefa formada por servidores da Prefeitura, Policia Militar e Ministério Público conseguiram impedir a ocupação do calçadão da praia Martim de Sá para a realização dos chamados “fluxos” ou “rolezinhos”. Também dispersaram público que estava em uma festa junina na zona sul e aglomeração em comércios. No total, as autuações ultrapassam os R$ 44,5 mil.

A primeira ação foi na sexta-feira (25/6) quando as equipes foram para a Martim de Sá, onde uma multidão já se aglomerava. Segundo a prefeitura, os organizadores chegaram a ‘marcar’ na Praça do Museu para despistar a fiscalização, mas foram localizados.

As equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania, que engloba o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), encontraram ambulantes comercializando bebida alcoólica, o que não é permitido. A fiscalização da Secretaria da Fazenda (Comércio) abordou 40 ambulantes. Mais de 400 pessoas foram abordadas neste dia.

Pela Vigilância Sanitária de Caraguatatuba e do Estado foram lavrados nove autos de infração por comércios funcionando após as 22h, permitir pessoas em pé (jogando sinuca e aglomeradas), falta de licença da saúde e realização de festa junina. A festa junina era realizada em um rancho, no Pegorelli, região sul do município, e contou com o apoio da PM para a dispersão. O estabelecimento levou três autos de infração, totalizando R$ 11,2 mil.

De acordo com a prefeitura, no mesmo bairro, uma lanchonete deixou de respeitar as orientações em relação a protocolos sanitários e também recebeu três autuações no mesmo valor. Já no bairro Golfinhos, havia várias pessoas em uma festa dentro de um estabelecimento comercial e o responsável recebeu auto de infração de R$ 3.740,00. Todas essas ocorrências foram no sábado, sendo outras duas nos dias anteriores por estarem abertas após horário determinado para fechamento.

Junto com a Fiscalização do Comércio, as equipes da Secretaria de Urbanismo (Posturas) também foram para as ruas e totalizaram cerca de 250 estabelecimentos comerciais vistoriados, sendo dois deles autuados por perturbação de sossego no valor de R$ 1.720,00 cada.

Por Radar Litoral