Mulher morta com requinte de crueldade em Cambuquira pode ser sido enterrada viva

Além das facadas a vítima estava amarrada com arames farpados no pescoço, braço, pés e com um tampão na boca.

Mariane Soares Pepe, 23 anos foi encontrada morta e enterrada em uma cova rasa na ontem (02) em uma mata em Cambuquira.

Segundo informações da polícia, Mariana era bastante conhecida por envolvimento com drogas na cidade. A vítima estava desaparecida desde sexta-feira (28/05) quando saiu de sua residência.

O delegado de Cambuquira disse que várias denúncias anomias davam conta que Mariana teria sido morta por um tribunal do crime em razão de dividas de drogas, e o corpo estaria no Parque de Cambuquira, onde existe um comércio intenso de vendas e consumo de drogas.

De posse das informações uma equipe da policia se deslocaram para o local no sentido de localizar a vítima. No decorrer das investigações os policiais conseguiram informações de uma testemunha que alegou que presenciou Mariana ser morta a mando do tribunal do crime.

A testemunha relatou aos policiais os motivos da morte, bem como o nome de um dos envolvidos pelo crime e o local onde o corpo estava enterrado.

Após busca o corpo foi encontrado já em estado avançado de decomposição, sendo constatados várias perfurações de faca. Além das facadas a vítima estava amarrada com arames farpados no pescoço, braço, pés e com um tampão na boca.

Segundo exames de necropsia Mariana teria morrido por asfixia, havendo suspeita que a mesma possa sido enterrada viva.

A polícia solicitou a Justiça a prisão de  C.A.M. acusado pela morte de Mariana. Informações dão conta que há mais pessoas envolvidas no crime. A polícia segue nas investigações.

O corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Três Corações e o sepultamento ocorreu na manhã de hoje (03) no cemitério municipal de Cambuquira.

Por Sebastião Ferraz