Campanha “Agosto Lilás” alerta mulheres sobre relacionamentos abusivos

Caraguatatuba inicia neste mês a campanha “Agosto Lilás”. A ação foi criada com objetivo de divulgar a Lei da Maria da Penha (Lei nº 11.340 de 2006), que completa 15 anos dia 7 de agosto, como uma ferramenta de ampla divulgação sobre a necessidade pelo fim da violência contra a mulher, os serviços especializados de atendimento a este público e os meios de denúncia.

Antes de falar sobre a violência, é importante dar destaque sobre a prevenção. O foco principal é alertar as mulheres sobre pequenos comportamentos do parceiro que já caracterizam um relacionamento abusivo.

Um relacionamento abusivo pode ser notado com diversas atitudes que não são saudáveis e, em muitos casos, as mulheres acreditam que são cuidados ou excesso de amor.

Se frases como essas: “Este seu vestido é muito curto!”; “Aonde vai maquiada desse jeito?”; “Eu não quero que vá sozinha”; “Pra que trabalhar fora? Você não precisa”; “Me deixa ver seu celular!”; “Pra que postar essa foto, tá se aparecendo demais”; entre outras, essas soam de forma positiva, é melhor redobrar a atenção.

Quando essas situações se tornam corriqueiras, é o momento de analisar e ver que o relacionamento não está bom antes que ocorra a agressão. Nesse primeiro momento, o agressor se mostra tenso e irritado por coisas insignificantes, chegando a ter acessos de raiva. Ele também humilha a vítima, faz ameaças e destrói objetos.

A vítima chega a negar que isso está acontecendo com ela e, muitas vezes, releva por achar que é apenas um dia ruim. Mas a verdade é que essas situações apenas pioram com o tempo.

Apoio

Caraguatatuba possui uma rede de proteção que acolhe essas mulheres. A Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania, por meio do Centro Integrado de Atendimento à Mulher (CIAM), presta atendimento às mulheres vítimas de violência. O processo de acolhimento é realizado em duas etapas: avaliação e acompanhamento.

Na avaliação é classificado o risco do caso e decidido, junto com a mulher, as medidas que serão tomadas. Após esse primeiro contato, a vítima passa por orientação com assistente social, psicóloga e orientação jurídica.

Já o acompanhamento é realizado por meio de atendimentos individualizados, visita domiciliar e grupos (suspensos agora devido à pandemia). O objetivo é o empoderamento das mulheres por meio de espaços de reflexão e conhecimento dos seus direitos, permitindo assim com que ela ressignifique a violência sofrida e trace novos planos para sua vida.

Denúncias

Para denunciar qualquer ato de violência contra a mulher, ligue 180. Esse número é gratuito, confidencial (anônimo) e funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados. Ele pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil.

Ações

Diferente de outros anos, devido à pandemia da Covid, a Prefeitura de Caraguatatuba promove em suas redes sociais diversas ações que estarão disponíveis na página do facebook, como enquete, divulgação de meios de denúncia, informações sobre os tipos de violência, entre outros.

Na noite desta terça-feira (3) será aberta uma enquete na página: facebook.com/prefeituradecaraguatatuba sobre diferentes situações vividas por mulheres. A participação é anônima e muito importante para o mapeamento do município.

Serviço:

– CIAM – Avenida Cuiabá, 400 – Indaiá (próximo ao AME)

Telefone: 3883-9908

Horário de atendimento: Segunda a sexta, das 9h às 15h

– Delegacia de Defesa da Mulher – Avenida Maranhão, 341 – Jardim Primavera

Telefone: 3882-3242

Horário de atendimento: Segunda a sexta, das 9h às 18h

Por Radar Litoral