Neto volta a dizer que Prefeitura de Volta Redonda, RJ está falida, mas lança edital para reformar Palácio 17 de Julho

O prefeito Neto (DEM), em alto e bom som, declarou mais uma vez na quinta-feira (dia 5) que o Município está falido. Em parte, os cofres vazios da administração refletem na falta de pagamento de encargos trabalhistas.

Volta Redonda, aliás, mais uma vez aparece com o nome sujo junto aos órgãos federais, como CauC (Cadastro Único de Convênios), que é o SPC e Serasa das prefeituras.

Como de costume, Neto transfere a responsabilidade da crise para a gestão anterior, mesmo já tendo passado sete meses do retorno dele ao Executivo municipal para cumprir o quinto mandato.

O discurso do chefe do Palácio 17 de Julho, de fato, é contraditório. Diz ele que em sete meses quitou o equivalente a dez folhas de pagamento. Não pagou até agora, porém, o valor devido aos cargos comissionados que prestaram serviços ao município até 31 de dezembro do ano passado.

Para confrontar os argumentos sobre a possível “falência da Prefeitura” com a realidade dos fatos, basta consultar o Portal da Transparência. Nele, é possível verificar, por exemplo, que alguns servidores que ocupam cargos de confiança, com menos de oito meses de nomeação no governo, já foram beneficiados com aumento nos vencimentos.

O PortalVR, site oficial da Prefeitura, revela que funcionários em cargo de Diretor II passaram do valor bruto salarial de R$ 2.200 para R$ 2.615. Para o cargo de Assessor Técnico, o vencimento bruto de janeiro era de R$ 4.515, em junho saltou para R$ 4.765.

Outra demonstração de que as coisas podem não estar tão mal quanto apregoa o prefeito Neto é o projeto de reforma da sede do governo, na Praça Sávio Gama.

A Prefeitura abriu processo licitatório para contratação de empresa visando a execução da obra de revitalização da parte externa e interna do Palácio 17 de Julho.

A previsão é gastar mais de R$ 115 mil na empreitada. O certame acontecerá na próxima terça-feira  (dia 10), às 9h30, no auditório do Fundo Comunitário (Furban).

Outro “investimento” da administração Neto na estrutura da sede do governo é a modernização do elevador do Palácio 17 de Julho que, segundo a justificativa, servirá para atender as necessidades da secretaria de Administração. Serão gastos mais de R$ 83 mil com recursos públicos. Nem o famoso cafezinho servido nas repartições foi esquecido.

O governo municipal licitará na quinta-feira (dia 12) a compra de 96 xícaras de café com pires. O processo é realizado pelo Gabinete de Estratégia Governamental (Gegov) e tem previsão de gasto de R$ 1,4 mil.  

Se por um lado Neto projeta “investir” cerca de R$ 200 mil para reformar a sede da Prefeitura e comprar xícaras, de outro, o discurso da “herança” recebida da gestão anterior persiste.

Disputa política a parte, certo é que centenas de trabalhadores – muitos deles pais e mães de famílias – seguem aguardando a quitação dos vencimentos referentes a novembro, dezembro, férias e o 13º.

Em entrevista concedida a um programa de rádio na quinta-feira, o prefeito disse que iniciará o pagamento dos comissionados enquadrados no DAS 103 a partir da próxima semana. “Vou começar a pagar pelo 103 (DAS) na semana que vem”, garantiu Neto.

Nota

A reportagem entrou em contato com a secretaria de Comunicação para saber se o reajuste foi concedido a título de gratificação, mas não obteve retorno