Câmara de Pindamonhangaba articula expansão das cirurgias eletivas na Santa Casa

Procedimentos cirúrgicos foram paralisados desde o início da pandemia; foco é expandir os atendimentos

Sede da Santa Casa em Pinda, que é foco de articulação de vereadores por ampliação de atendimento (Foto: Bruna Silva)

Na tentativa de expandir a capacidade de procedimentos cirúrgicos eletivos em Pindamonhangaba, a Câmara Municipal tem articulado para agilizado o processo. Somente neste mês, duas reuniões com gabinete e administração da Santa Casa de Misericórdia foram realizadas.

Devido à alta complexidade para atendimento de pacientes contaminados pela Covid-19, a Saúde suspendeu, ainda no último ano, a realização de cirurgias eletivas (que não são de urgência ou emergência). Em outubro do ano passado, a pasta havia afirmado que tinha retomados os atendimentos que foram adiados no primeiro semestre de 2020. Ao menos 30% das cirurgias já haviam sido realizadas e a previsão era de dobrar a porcentagem antes do término do ano.
“Infelizmente por conta da pandemia estamos com o número reduzido para 38 cirurgias por mês para nossos pacientes, que me refiro as conhecidas cirurgias: hérnia, pedra no rim, vesícula, vascular, ginecológica…entre outras. Um número insatisfatório para atender nossa população que vem sofrendo com a demora para agendar a suas cirurgias”, afirmou o vereador Magrão (PL), por meio das redes sociais. Ainda no gabinete do prefeito, ficou acordado que os parlamentares se reuniriam com a Santa Casa com o objetivo de expandir os atendimentos cirúrgicos ou “contratar esse serviço em outra cidade”, conforme o vereador.

A articulação com a Santa Casa ocorreu recentemente com a presença de todos os parlamentares, além da secretária de Saúde, Ana Claudia Macedo. Segundo o vereador Renato Cebola (PV), foram discutidas a ampliação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), além da realização das cirurgias em pacientes que requerem o atendimento.

Por meio de nota, a Prefeitura afirmou que está retomando o atendimento neste mês, de forma gradual. A expectativa é chegar a 100%, conforme a disponibilidade de leitos no SUS (Sistema Único de Saúde). Segundo o Município, há internações causadas indiretamente pela Covid-19. A gestão já iniciou a tramitação de um contrato para a realização de cirurgias.

Cenário – Pindamonhangaba ultrapassou, na última semana, a barreira dos 19,1 mil casos de Covid-19. Ao menos dez pessoas seguiam internadas para o tratamento da doença, sendo três delas na UTI e sete na enfermaria. Até esta terça-feira (21), 417 pessoas morreram na cidade em decorrência das complicações da doença.

Por Bruna Silva | Jornal Atos