Caso Marco Aurélio: Polícia descarta osso encontrado no Marins; novas escavações dependem de licença

A Polícia Civil descartou como sendo do escoteiro Marco Aurélio Simon um fragmento de osso encontrado na base do Pico dos Marins, em Piquete.Foi naquela região, em 1985, que o jovem escoteiro paulistano de 15 anos desapareceu sem deixar vestígios, após um acampamento com outros três escoteiros e um líder.

O osso foi encontrado há cerca de um mês perto da casa em que morava o antigo proprietário, Afonso Xavier, que morreu em 1997. Foi ali perto que o grupo de Marco Aurélio montou a base do acampamento para a expedição ao Marins, há 36 anos.

Segundo o jornalista e advogado Ivo Simon, pai do escoteiro, o osso passou por análise de um perito e foi descartado como sendo de um ser humano. “O osso é de um animal, um cão ou gato. Não é de Marco Aurélio”, disse ele a OVALE.

Simon acompanha as investigações da Polícia Civil depois que o caso foi reaberto, no final de junho deste ano, após autorização judicial. O inquérito estava arquivado desde abril de 1990, quando as investigações oficiais foram encerradas.

CORPO

O pedido para a retomada das investigações teve com base relatos de uma filha de Afonso Xavier, que levantou a hipótese de que Marco Aurélio poderia ter sido morto e enterrado na área que serviu de acampamento para os escoteiros.

Uma primeira escavação foi feita no final de julho, no piso da casa em que morava Xavier, mas nada foi localizado. Agora, a Polícia Civil aguarda autorização de órgãos ambientais para escavar em uma segunda área, que fica em trecho de mata a cerca de 200 metros da casa de Xavier.

O trabalho exigirá o uso de uma retroescavadeira e ainda não tem data prevista para ocorrer.TAUBATÉSegundo Simon, uma segunda linha de investigação apura se Marco Aurélio teria desaparecido e estaria vivendo como andarilho.

Há informações de que um morador de rua de Taubaté seria parecido com o irmão gêmeo de Marco Aurélio, cuja foto é usada como referência, além de uma imagem envelhecida do próprio escoteiro.

“Há um grupo de voluntário em Taubaté que me mandou uma foto de um morador de rua da cidade, que realmente tem semelhança com Marco Aurélio”, disse Simon.

“Mas é difícil para a gente confirmar por foto, de dizer se é ou não o Marco Aurélio”, completou o jornalista.Simon disse que pediu à Policia Civil para localizar esse morador de rua e averiguar se ele tem uma cicatriz abaixo do umbigo, marca que Marco Aurélio tinha por ter passado por uma cirurgia na infância.

“É preciso fazer essa análise para descartar ou não se esse andarilho possa ser Marco Aurélio. Sei que é bem difícil, mas continuamos com a esperança de encontrá-lo com vida”, afirmou Simon.

Foto: Jonas Caetano/Arquivo Pessoal

Fonte: OVALE