MP realiza operação que investiga fraude na terceirização da saúde em Cachoeira Paulista

O Ministério Público realiza na manhã desta quinta-feira (30) a segunda fase de uma operação que investiga irregularidades na terceirização da saúde em Cachoeira Paulista (SP). Entre os alvos está a sede da Santa Casa de Misericórdia da cidade.

Essa é a segunda fase da operação Santo Remédio, que teve investigações iniciadas em 2018. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Promotoria de Cachoeira Paulista investigam o desvio de verbas públicas por meio da contratação irregular de organização social responsável pela gestão da saúde da cidade.

Nesta quinta-feira estão sendo cumpridos sete mandados de busca e apreensão em endereços ligados a funcionários públicos e particulares investigados, nas cidades de Cachoeira Paulista e Silveiras.

Também há cumprimento de mandado em Pilar, na Paraíba.Segundo o Ministério Público, as novas investigações apontam para desvio de recursos e lavagem de dinheiro.

Por isso, foi autorizada a quebra de sigilo bancário e fiscal dos envolvidos, além de decretada indisponibilidade de bens até quase R$ 1 milhão para reguardar os cofres públicos.

O Gaeco informou ainda que, com base nas investigações iniciais, já foram oferecidas e recebidas pela Justiça de Cachoeira Paulista duas denúncias contra dez pessoas no total, por organização criminosa e lavagem de dinheiro, dentre outros crimes.

Além dos promotores de Justiça, participam da ação servidores do Ministério Público e policiais militares do 3° Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar.

Foto: Arquivo Pessoal