Queijos artesanais de Minas premiados em concurso mundial na França

Ao todo, o Brasil conquistou 57 medalhas no concurso Mondial du Fromage et des Produits Laitiers de Tours, 40 delas, de produtores mineiros.

Cinco medalhas Super Ouro, 11 de ouro, 24 de prata e 17 de bronze: o tradicional e delicioso queijo de Minas Gerais conquistou o paladar dos jurados em Concurso Mundial de Queijos na França (de 12 a 14 de setembro)  e arrebatou estes prêmios importantes para o país, e confirma que os produtores mineiros estão no caminho certo e merecem todos os aplausos.

Dos quatro queijos mineiros premiados com a medalha Super Ouro, três deles são produzidos aqui no Sul de Minas e abocanharam o prêmio máximo: o queijo canastra Ivair Reserva, de São Roque de Minas; o queijo Santo Casamenteiro, do Laticínios Cruzília; o queijo canastra do Serjão, de Piumhí; e o queijo Minas Artesanal produzido na Fazenda Serra do Alexandre, de Sabinópolis.

São Paulo levou 15 medalhas e teve um dos destaques brasileiros: a queijeira Camila Almeida, da fazenda Estância Silvania, conseguiu 2 medalhas de ouro com o queijo Primavera Silvania e Serrinha na cerveja, 1 de bronze com o Taiada Silvania e 2 medalhas de prata com queijos maturados.

A cobiçada medalha Super Ouro do Mondial du Fromage et des Produits Laitiers de Tours, do Concurso Mundial de Queijos na França,  organizado pela Guilde Internationale des Fromagers –  foi concedida a cinco produtores, além de outras 11 de ouro, 24 de prata e 17 de bronze. Ao todo, o Brasil conquistou 57 medalhas no concurso, das quais 40, de queijos produzidos em Minas Gerais.  Ao todo, 900 queijos de 46 países competiram pelas 331 medalhas. 

Em 2022, o Brasil irá realizar o seu segundo Mundial de Queijos, também em parceria com a Guilde Internationale des Fromagers. O evento ocorrerá em Inhotim, Minas Gerais, entre 15 a 18 de setembro.