Estudantes do Sul Fluminense vencem concurso do Ministério da Saúde

Por meio de ação interprofissional, os cursos de Jornalismo, Enfermagem e Publicidade e Propaganda foram vencedores do concurso elaborado pelo Ministério da Saúde (MS) e a Organização Pan-Americana da Saúde/ Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) para o chamamento de produções de materiais radiofônicos de prevenção da sífilis.  

Com o podcast Saúde e Ciência, o UniFOA entra para um seleto grupo de seis instituições privadas e federais do país vencedoras do chamamento público para a campanha. Ao todo, participaram da ação 18 estados, 51 municípios e 41 instituições de ensino superior. Os vencedores foram anunciados na Semana Nacional de Enfrentamento à Sífilis e à Sífilis Congênita que aconteceu entre os dias 19 e 20 de outubro. 

Os trabalhos serão divulgados nas plataformas digitais do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana de Saúde / Organização Mundial de Saúde, bem como em rádios públicas, universitárias, web rádios e rádios comunitárias, de alcance nacional, estadual e municipal. 

A avaliação dos trabalhos, aconteceu ao longo dos primeiros meses de 2020 e contou com profissionais de diversas instituições renomadas do país. Dentre elas, a Rádio Nacional de Brasília (EBC – Empresa Brasileira de Comunicação), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Conselho Nacional de Saúde (CNS), Associação Brasileira de Rádio e Televisão (ABERT), a Associação Brasileira de Rádios Comunitárias (Abraço), a Rede de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Federais e a Rede da Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). 

Segundo o Pró-Reitor Acadêmico do UniFOA, professor Luciano Marins o trabalho elaborado na instituição é uma comprovação de excelência no ensino. Ainda de acordo com ele, projetos que envolvam metodologias ativas e a interprofissionalidade são fundamentais para o desenvolvimento profissional. “É muito importante para os estudantes ter contato com as disciplinas curriculares, mas também em projetos nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Dessa forma, desde o primeiro momento o acadêmico estará conectado e engajado com as atividades. Além disso, com a aplicação do trabalho o aluno desenvolverá as hard e soft skills, relevantes para o perfil do futuro profissional”, disse o Pró-Reitor Acadêmico.    

O coordenador do Curso de Publicidade e Propaganda e professor do Curso de Jornalismo, Douglas Gonçalves, destaca que o rádio e a educomunicação possuem relevância no processo de divulgação de informações para a sociedade. Para o professor, se todos tivessem o contato com a ciência teríamos outro cenário no país.  “O surgimento do rádio na década de 20 está alinhado com o meio educacional.  Divulgar ciência para a sociedade é um dos papeis dos comunicadores, pois é por meio dela possuímos o conhecimento”, explicou Douglas Gonçalves.    

No 4°ano do curso de Jornalismo, Matheus Azevedo ressalta a relevância da comunicação em projetos ligados área da saúde. “A comunicação possui papel fundamental em informar a população sobre os fatos relevantes. As ferramentas comunicacionais podem e devem ser utilizadas para o bem da sociedade, como no caso da prevenção da sífilis”, pontuou o acadêmico. 

O material radiofônico da campanha foi produzido no laboratório da Rádio UniFOA, espaço extensionista e de produções de conteúdos informativos e educacionais. Estudantes, professores e funcionários podem participar deste espaço para veiculação de ideias e ações. 

Participantes do projeto:   

Professores Alexis Aragão Douglas Gonçalves (curso de Publicidade e Propaganda e Jornalismo); Matheus Azevedo (Estudante do 4° ano de Jornalismo); Thalles Figueiredo e Larissa de Paula (Egressos do curso de Publicidade e Propaganda); professora Renata Martins (Curso de Enfermagem) e Flávia Selvati e Lohany Ferreira (Egressas do curso de Enfermagem). 

Foto: Divulgação