Ministério Público pede abertura de inquérito policial para investigar padre suspeito de abusos em Monte Sião, MG

Religioso é suspeito de assediar e violentar sexualmente pelo menos oito monges em mosteiro de Monte Sião.

 Foto: Reprodução / Redes Sociais

O Ministério Público pediu a abertura de inquérito policial para investigar o padre Ernani Maria dos Reis, suspeito de assediar e violentar sexualmente pelo menos oito monges em um mosteiro de Monte Sião, entre 2011 e 2018.

A denúncia foi publicada inicialmente pelo UOL e confirmada pela reportagem. Conforme o Ministério público, foi instaurada uma notícia de fato para investigação das supostas práticas de abuso sexual no interior do Mosteiro da Santíssima Trindade.

O procedimento foi encaminhado pelo promotor de Justiça Marco Antônio Meiken ao delegado de polícia da comarca de Monte Sião, juntamente com a requisição de abertura de inquérito policial sobre o caso.

O padre teria cometido os crimes sexuais entre os anos de 2011 até 2018, quando ele se afastou do mosteiro. As vítimas eram homens, com idades entre 20 e 43 anos, quando o assédio começou. Outras 11 pessoas, entre elas 10 mulheres, teriam sofrido constrangimentos e agressões verbais.

As denúncias teriam sido recebidas pela Igreja Católica, mas o padre só foi afastado depois que ele mesmo pediu para sair do mosteiro.

A Polícia Civil informou que vai analisar a recomendação do Ministério Público e fará a instauração do inquérito policial para apurar as denúncias.

A reportagem entrou em contato com a Arquidiocese de Pouso Alegre, mas até a publicação desta reportagem, não havia recebido retorno. O padre Ernani Maria dos Reis, que hoje mora em Franca (SP), também foi procurado, mas não respondeu ao pedido de entrevista.