Nissan abrirá mais 578 postos de trabalho em Resende

Anúncio foi feito em reunião do presidente da empresa com o governador

A montadora coreana Nissan vai abrir 578 postos de trabalho em sua fábrica no Rio de Janeiro.  As vagas serão para viabilizar a operação de mais um turno de produção, previsto para fevereiro de 2022, no complexo industrial de Resende, no Sul Fluminense. O anúncio foi feito durante reunião do presidente da Nissan no Brasil, Airton Cousseau, com o governador Cláudio Castro e o secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione, no início da semana, no Palácio Guanabara.

– O Rio de Janeiro está em outro momento e volta a ser atraente para os investidores. Esta é uma operação de extrema importância para o estado. Nossa prioridade é a geração de empregos para o desenvolvimento do nosso estado, e mais uma vez, a Nissan reafirma o compromisso com o Rio – ressaltou o governador Cláudio Castro. 

A montadora investiu R$ 2,6 bilhões na construção de seu complexo industrial próprio em Resende. A unidade industrial que receberá um novo turno de trabalho foi inaugurada em abril de 2014 e tem a capacidade de produzir 200 mil carros e 200 mil motores por ano.

– Ter grandes empresas como a Nissan gerando mais empregos é fruto de articulação e muito diálogo do governo, com todas as esferas. Essas grandes corporações estão investindo no Rio, e isso não é à toa. Estamos criando um ambiente acolhedor, investindo em segurança jurídica, para trazer mais receita e desenvolvimento para o Estado – disse o secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione.

Para começar o segundo turno no prazo previsto, a Nissan vai iniciar a seleção e a contratação dos novos funcionários já neste mês de outubro. Com isso, a empresa vai reforçar a produção para atender a demanda pelo Novo Kicks, lançado em março, tanto no mercado interno quanto em outros países, com a exportação do modelo brasileiro. Atualmente, há 2 mil funcionários trabalhando na fábrica de Resende.

Crédito fotos fábrica – divulgação Nissan

Crédito fotos reunião – Rafael Campos