Homem que matou mulher durante visita íntima no CDP de Caraguatatuba, SP foi condenado a 30 anos de reclusão

Quarta-feira (24) em sessão do Tribunal do Júri,  na presença do promotor Dr. Renato Queiroz de Lima e da defensora do réu Dra. Cláudia Amable Rodrigues, o Juiz Dr. Júlio da Silva Branchini leu a sentença em que condena Pedro Antônio Dutra Vieira a 30 anos de reclusão em regime fechado, pela prática do crime de homicídio qualificado.

O réu matou sua mulher Débora de Carvalho, de 33 anos, em uma visita íntima enquanto estava preso no Centro de Detenção Provisória de Caraguatatuba, em 10 de janeiro de 2016.

Os agentes penitenciários relataram que uma das mulheres não havia deixado o local durante o horário de saída dos visitantes e encontraram a vítima desacordada caída no chão do banheiro com um balde cobrindo parcialmente sua cabeça e uma acorda artesanal envolta em seu pescoço.  Segundo uma testemunha, o marido estrangulou a mulher com uma corda feita com sacos plásticos de leite.

A mulher foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, mas não resistiu. O filho que estava com vítima foi levado do local pelo Conselho Tutelar. Ambos eram moradores do bairro Olaria, em Caraguatatuba.

O marido estava preso por tentativa de homicídio contra a própria mulher que ele conseguiu matar dentro do banheiro no CDP.