O novo momento no mercado da educação

Professor Mauricio Martins

O Brasil passa por um momento de transformação positiva no mercado de educação associado principalmente à aproximação com a tecnologia, muito acelerada pela pandemia e pelos impactos por ela trazidos. E essa transformação está não só na forma de entregar conteúdo, mas principalmente na oferta de novas experiências necessárias para resolver um problema que o contexto deixou bastante exposto: os aspectos socioemocionais dos alunos. E não só esse conjunto de competências, presentes em todas as 10 competências gerais da BNCC, como também um conjunto de outras habilidades ou soft skills, como são conhecidas no mercado educacional, que passaram a ser cada vez mais exigidas. Juntos, tecnologia e educação observam um campo para expansão nos negócios.

Nessa movimentação, além da incorporação de edtechs por grandes sistemas para tentar resolver o problema e fortalecerem suas propostas, um dos recentes marcos foi o anúncio da edtech brasileira Vivadí da aquisição da VOA Educação, uma startup focada em avaliação e desenvolvimento de competências socioemocionais. O negócio de R$ 12 milhões é um símbolo da expansão das soluções tecnológicas para soft skills no país. Esse processo deixa claro que, no retorno presencial às aulas presenciais, será determinante o acolhimento e observação das escolas aos aspectos socioemocionais de seus alunos. E fortalece a importância da inteligência de dados para ampliação da atuação nesse campo.

Nesse movimento de consolidação das soft skills nas escolas brasileiras, a Vivadí caminha para triplicar o número de alunos, além de aproveitar o know how e internacionalizar sua expertise, expandindo a operação para dois outros países da América Latina nos próximos dois anos. Se o mercado já apresentava forte viés de crescimento, com uma demanda pujante, as transformações que a pandemia impôs aos sistemas educacionais o tornará ainda mais aquecido, de forma que as escolas tenham e disponibilizem soluções para o desenvolvimento dessas habilidades socioemocionais, que também integram qualidades como cultura de estudo, bem-estar alimentar e inglês, entre outras skills.

A aquisição da VOA Educação vem menos de um ano após a Vivadí anunciar uma rodada de investimento liderada pelo Barrah Investimentos e três meses depois de ter lançado uma plataforma de videoexperiências voltada para alunos de escolas de educação básica. Mais do que isso, mostra o potencial que as startups também têm para fazer a diferença também no segmento educacional. Mostra força da união entre tecnologia e educação, ampliando o ecossistema de soluções para o desenvolvimento em larga escala.

Esse movimento de aquisições indica, sem dúvidas, um mercado mais maduro, que reconhece que o investimento em tecnologia é a melhor forma de garantir agilidade e qualidade na entrega. O mercado educacional brasileiro tem um grande espaço e potencial para crescer. E será fundamental desenvolver tecnologia para o mundo das soft skills.

* é professor, especialista em produtos para educação e co-fundador da edtech Vivadí