Santa Casa de Cachoeira implanta gripário em meio a “onda” de influenza

Isolado, setor busca impedir contato entre pacientes; atendimentos no hospital dobram nos últimos meses

O gripário na Santa Casa de Cachoeira, que é reaberto por aumento da transmissão da influenza (Foto: Divulgação PMC)

Após registar um considerável aumento de casos de gripe em Cachoeira Paulista, a Prefeitura implantou no último fim de semana na Santa Casa um setor, isolado, para tratar casos da doença. Tentando impedir o avanço do vírus da influenza no município, a medida tenta evitar que pacientes infectados tenham contato com os demais no hospital.

Assim como a maioria das cidades brasileiras, Cachoeira desde o fim do ano passado enfrenta um surto atípico de gripe, provocado pelo subtipo H3N2 do vírus influenza.

Apesar de não detalhar os números, a atual gestão municipal, comandada pelo prefeito Antônio Carlos Mineiro (MDB), revelou em nota oficial que a Santa Casa registrou um crescimento significativo na demanda de pacientes gripados nos últimos meses de 2021. O fato contribuiu para dobrar o número de atendimentos no hospital e consequentemente ampliar o tempo de espera por consultas.

Buscando reduzir o risco de contaminação pela influenza dentro do PS (Pronto Socorro) e da Santa Casa, que segue sob intervenção municipal desde 1997, a Prefeitura e a equipe médica promoveram no último dia 30 a implantação de um gripário. Exclusivo para atendimento de síndromes gripais, o setor funciona num espaço anexo ao PS.

Além de orientar os moradores que apresentam sintomas gripais a irem diretamente ao gripário, o secretário de Saúde de Cachoeira, Rafael Franco, justificou a necessidade da implantação do setor. “Esse atendimento visa apoiar o PS e diminuir o tempo de espera entre as consultas. A equipe técnica e o corpo clínico também já foram reorganizados para oferecer mais suporte e suprir a demanda. Salientamos novamente para que a população se atente sobre as informações e tenha o correto entendimento sobre o assunto em questão, seguindo todo os protocolos sanitários de prevenção e controle”.

O chefe da pasta recomendou ainda às famílias de Cachoeira adotarem uma série de medias de prevenção a doença. “Mediante ao período pandêmico que vivemos, e pelo aumento de casos de síndrome gripal causada por influenza sazonal ou outros vírus respiratórios, reforçamos para que todos mantenham o distanciamento social. Também é necessária a higienização das mãos e uma boa higiene pessoal, uma alimentação saudável, ingestão de bastante água, assim como o uso obrigatório de máscaras”.

Procurada pela reportagem do Jornal Atos, a Prefeitura de Cachoeira informou que a implantação do gripário não necessitou de investimento, já que o Município utilizou mão de obra e materiais próprios.

O ‘Atos’ solicitou também dados referentes a média de atendimentos de pacientes com influenza registrada nos últimos meses, mas o pedido não foi atendido até o fechamento desta edição.

Por Jornal Atos