Destaque PequenoPolícia

Dois estrangeiros são presos em Lorena, SP em operação da PF contra abuso sexual infantil

 Foto: Divulgação/Polícia Federal

Dois estrangeiros foram presos em flagrante em Lorena (SP), na manhã desta segunda-feira (4), durante uma operação da Polícia Federal contra o armazenamento e compartilhamento de imagens de abuso sexual infantil.

Outros dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Roseira, onde diversos arquivos foram apreendidos após uma investigação da polícia da Noruega.

De acordo com a Polícia Federal, um dos estrangeiros armazenava diversos vídeos e fotos com cenas de abuso sexual a crianças e adolescentes.

O outro compartilhava as imagens com usuários pela internet. As investigações seguem para verificar se a dupla tem conexão com criminosos de outros países para o compartilhamento dos arquivos.

 Foto: Divulgação/Polícia Federal

As nacionalidades, idades e o local onde os estrangeiros foram encontrados não foram reveladas pela PF até a última atualização da reportagem.

Investigação norueguesa

Ainda na manhã desta segunda-feira (4), os cerca de 20 policiais federais cumpriram outros dois mandados de busca e apreensão em Roseira, cidade vizinha de Lorena.

As investigações começaram após a polícia da Noruega prender um homem que produzia vídeos contendo abuso sexual infantil. Após a prisão, policiais noruegueses descobriram que um homem no Brasil havia comprado o conteúdo e entraram em contato com a PF.

Com a descoberta, a Polícia Federal apreendeu celulares e computadores com vídeo e imagens relacionadas ao crime.

 Foto: Divulgação/Polícia Federal

Os quatro mandados de busca e apreensão – considerando os cumpridos contra os estrangeiros – foram expedidos pela Justiça Estadual em Lorena e pela Justiça Federal em Guaratinguetá.

O artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente pune com reclusão de 4 a 8 anos quem oferece, troca, disponibiliza, transmite, distribui, publica ou divulga, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

Já o artigo 241-B pune com prisão de um a quatro anos quem adquire e armazena esse tipo de conteúdo.

Por g1