Política

MDB aciona Justiça por pedido de votos de Lula para Boulos

Diretório do partido em São Paulo quer que presidente seja investigado por abuso de poder político e econômico em ato de 1º de maio

Por Leonardo Rodrigues | SBT News

O comando do MDB na cidade de São Paulo, partido do prefeito e pré-candidato à reeleição Ricardo Nunes, entrou nesta sexta-feira (3) com uma representação no Ministério Público Eleitoral pelo pedido de voto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP), pré-candidato à prefeitura da capital paulista, durante um ato realizado para celebrar o 1º de maio, Dia do Trabalhador.

O partido quer que o petista seja investigado não só por propaganda eleitoral antecipada, mas também por abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meios de comunicação durante o evento.

A legislação eleitoral só autoriza pedido de voto a partir do início oficial da campanha eleitoral, que nestas eleições municipais começa em 16 de agosto. O diretório paulistano do MDB considera ainda que Lula usou a estrutura do Estado e “o financiamento proveniente de entidades ligadas ao governo federal e de sindicatos” para promover Boulos.

Os discursos de quarta-feira (1º) foram transmitidos pela EBC, estatal responsável pela comunicação do governo federal, na televisão e nas redes sociais. Após uma decisão da Justiça eleitoral, o vídeo com a transmissão do evento foi retirado dos canais oficiais do governo no YouTube.

Segundo Josué Rocha, coordenador da pré-campanha de Boulos, a judicialização das falas é uma “cortina de fumaça para despistar o uso de eventos oficiais da Prefeitura, realizados com dinheiro público, para a promoção de sua candidatura à reeleição”. Ricardo Nunes e Boulos disputam a liderança nas pesquisas de intenção de voto pela Prefeitura da capital paulista.

SBT News entrou em contato com a assessoria do presidente Lula, mas não teve retorno. O espaço segue aberto à manifestação.

O engajamento de Lula

No palco do ato, Lula pediu que as pessoas que votaram nele em eleições passadas agora votem em Boulos para prefeito de São Paulo.

“Esse jovem está disputando uma verdadeira guerra aqui em São Paulo. Ele está disputando com nosso adversário nacional, estadual, com nosso adversário municipal. Ele está enfrentando três adversários”, disse o presidente. A declaração teve reação de diversos políticos de oposição, que acusaram Lula de propaganda eleitoral antecipada.

Na análise da jornalista Nathalia Fruet, o risco corrido no ato demonstra a preocupação do petista com a disputa eleitoral da capital paulista. “Ele [Lula] já foi para São Paulo pensando nisso, que estamos em disputa eleitoral. Precificou toda a reação e a multa que pode levar”, disse Fruet, em participação no Brasil Agora.