DestaqueSul Fluminense

Pacientes com fibromialgia e Parkinson relatam melhora com tratamento à base de canabidiol em Volta Redonda

Por Ascom PMVR

Antes do tratamento com o óleo à base de canabidiol, eu andava com auxílio de uma bengala. Depois de três meses usando o medicamento, eu consigo andar sozinha e voltei para as aulas de capoeira. As dores nas articulações melhoraram bastante e, com isso, me sinto mais tranquila. As dores me deixavam muito nervosa”, comenta Zina Maria Vaz Camacho, de 68 anos, com diagnóstico de fibromialgia e artrose.

A paciente, em tratamento na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Rústico, utiliza cinco gotas do óleo três vezes ao dia. O produto disponibilizado pela Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), chega até a casa da aposentada, no bairro Retiro, de forma gratuita através do SUS (Sistema Único de Saúde).

“Esse produto está mudando a minha qualidade de vida, eu recomendo que as pessoas aptas a usar o óleo que procurem a rede municipal de saúde. Ainda há muito preconceito com o medicamento, mas devemos nos apegar aos resultados que são muito satisfatórios”, aconselha Zina Camacho.

Dino Bezerra Antônio, de 72 anos, tem doença de Parkinson e está em tratamento com canabidiol há um ano e meio também na UBS Rústico. O paciente relata que o tremor nas mãos – sintoma característico da doença degenerativa – apresentou uma significativa melhora. O aposentado recebeu a indicação para o uso do óleo na rede particular, mas devido ao alto custo do produto, foi na rede pública que, de fato, teve acesso ao tratamento.

“A minha tremedeira nas mãos diminuiu. Tomo dez gotas três vezes ao dia, são gotas milagrosas, os dedos dos meus pés estavam atrofiando e depois do cannabis notei que consigo flexioná-los, tenho mais disposição para as tarefas do dia a dia”, cita Dino Antônio, morador do bairro Parque das Ilhas, que também recebe o produto em casa.

Fotos: Geraldo Gonçalves – Secom/PMVR