DestaquePolítica

Vice-prefeito ‘trai’ prefeito em Lavrinhas: Motivação política ou interesses pessoais

Por Redação | Portal A Gazeta RM

O cenário político em Lavrinhas foi abalado por um ato surpreendente: o vice-prefeito Marcos Vinicius Franqueira rompeu publicamente com o prefeito José Benedito da Silva, ‘Zezinho do Açougue’, deixando os lavrinhenses sem entender o motivo do rompimento.

O rompimento ocorreu de forma abrupta, sem explicações claras, alimentando especulações sobre as motivações por trás desse ato.

Fontes internas sugerem que ocorreu teria sido uma traição de Marcos Vinicius, que teria dito a Zezinho que não iria concorrer às eleições de 2024 por motivos familiares, fato esse que não ocorreu.

Apesar das aparências de uma estratégia política, muitos munícipes expressam descontentamento com a possibilidade de a cidade ser prejudicada por interesses partidários e pessoais.

Marcos Vinicius está sendo duramente criticado por sua suposta participação nesse jogo político, colocando seus próprios interesses à frente do bem-estar da população.

A falta de intenção por parte do vice-prefeito de concorrer a prefeito reforça a percepção de que sua decisão foi motivada por interesses pessoais e não políticos.

Diante desses acontecimentos, a população aguarda esclarecimentos e espera que as decisões políticas não comprometam o desenvolvimento e o bem-estar de Lavrinhas e de seus habitantes.

Nossa reportagem foi ao gabinete do Prefeito Zezinho, onde o prefeito nos deu informações sobre o racha político que culminou rompimento.

Zezinho alegou a reportagem que a união entre ele e o vice-prefeito estava ficando estreita. Já que Marcos teria indicado os principais secretários que não estavam desempenhando o papel ao qual foram convidados pelo vice.

“Estava ficando difícil trabalhar com um secretariado que somente me trazia problemas e a falta e vestir a camisa da administração municipal. Muitas reclamações por parte da população. Fui pressionado pelos vereadores dando a entender que eu não estava realizando os trabalhos designado a um prefeito para administrar a cidade” disse Zezinho.

Para o prefeito, Marcos Vinicius foi um traidor que lhe apunhalou pelas costas, sem lhe dar a oportunidade de mostrar quem verdadeiramente era o errado.

“Fui traído e apunhalado pelas costas pelo vice-prefeito que mais de três anos estava administrando a cidade comigo, e de repente mudou sua linha de pensamento, acho que foi influenciado politicamente. Tínhamos um acordo de fio de bigode que honrei, coisa que ele não fez sua parte” comenta.

Quando o prefeito diz que tinha um acordo de “fio de bigode” com o vice-prefeito, significa que um simples aperto de mãos selava de pequenos acordos a grandes negócios, sem a necessidade, em muitos casos, de documento ou contrato formalizando os atos comerciais. Daí a expressão “fio do bigode”, que consistia em dar em garantia a palavra empenhada, um fio da própria barba retirado, em geral, do bigode.

“Por várias vezes falei com o Marcos, se ele fosse sair candidato eu não sairia pelo acordo que fizemos. E todas às vezes ele [Marcos], dizia a mesma que não seria candidato, pois teria perdido um familiar ao qual ele admirava, e que queria ter tempo para cuidar de sua filha recém-nascido.

É fato é que Zezinha se sentiu traído pelo companheiro de política que esteve a frente da prefeitura há três anos e alguns meses, mostrando segundo o prefeito um fiel amigo, companheiro de política.

“Todos os que vinham até a mim pedindo algo ou alguma coisa se afastaram, até mesmo os vereadores de Lavrinhas que buscava a prefeitura com suas demandas e solicitações, hoje sabem apenas apontar os erros que dizem que fui eu que cometi sozinho. Deixo claro que todas as atitudes tomadas foram feitas em comum acordo entre o prefeito, vice-prefeito e vereadores que se diziam apoiadores”, finaliza.

O prefeito falou sobre outros assuntos, como: vida pessoal, mentiras sobre supostos assédios, falta de caráter e comprometimento com a administração, mentiras e outros temas que será publicado em partes.