Destaque PequenoSul de Minas

MP e PM apuram denúncias de tortura em clínica de reabilitação em Machado 

Centro terapêutico mantinha sala com equipamentos utilizados para maus-tratos aos internos

Foto: Divulgação

Por Portal da Cidade Pouso Alegre, com informações da PMMG

O Ministério Público, através da Promotoria da Comarca de Machado, no Sul de Minas, determinou investigação a uma clínica de reabilitação localizada na área rural do município, onde segundo denúncias os internos se encontravam em condições insalubres e recebiam maus-tratos. Um compartimento, identificado como “sala de tortura”, foi descoberto na sede da clínica. O local tinha equipamentos onde internos que se rebelavam passavam por sessões de espancamento, segundo foi denunciado, eram sedados e amarrados em equipamentos até que se acalmassem.

Uma operação com apoio das polícias Militar e Civil, além de agentes da Vigilância Sanitária, foi deflagrada com uma visita para verificação ao Centro Terapêutico Caminho da Luz, instalado no bairro rural Caixetas. No local, conforme relatado, os internos viviam em condições degradantes, em meio à sujeira e eram submetidos a maus-tratos, conforme alguns confirmaram através de marcas e lesões pelo corpo.

A maioria dos pacientes da clínica foi parar ali transferida do Proesc, um outro centro terapêutico localizado em cidade próxima. Após a confirmação das denúncias, todos eles foram retirados da clínica em Machado e levados à Delegacia de Polícia, onde se reencontraram com seus familiares.

Durante a visita técnica determinada pelo Ministério Público, e diante da constatação das irregularidades, o diretor/proprietário do Centro Caminho da Luz conseguiu fugir do local. Ele apanhou um carro e tentou fuga pela rodovia MGC-267, rumo ao município de Campestre. Durante perseguição ao seu veículo pelas ruas da cidade, a viatura da PM colidiu com uma ambulância no encontro das ruas Joaquim Teófilo e Dom Hugo. Ninguém se feriu. 

A equipe policial entrou em contato com a PM de Campestre, foi feito bloqueio na rodovia e o veículo do diretor em fuga foi interceptado. 

Ele foi detido e conduzido à Delegacia de Polícia, onde se encontra aberto inquérito para apurar as denúncias. No momento da prisão o homem levava uma pasta com considerável quantia em dinheiro e cheques. Outros dois funcionários da clínica, acusados de participar das sessões de maus-tratos aos internos, também foram presos.